Meanwhile in… San Marino!

MEANWHILE IN… SAN MARINO
Uma história fantástica ou a máfia da Arménia em acção?!

Parece que nem as investigações do FBI perturbam algumas actividades estranhas nas competições da UEFA. É só um gajo estar atento para ver autênticas sitcom nas pré-eliminatórias da Champions e da Liga Europa.

Em 2013-14 o Shirak, campeão armeno, deslocou-se a San Marino para oferecer – literalmente – a primeira vitória de sempre a uma equipa de San Marino.

«Ah mas ó bujas, isso aconteceu porque equipas de San Marino nunca jogam contra equipas de Andorra ou de Malta… Caso contrário já tinham ganho mais vezes!»

É o ganhas, belhote… Quando o Tre Fiori de San Marino calhou com o Sant Julià de Andorra (2009/10), empataram os dois jogos e depois perderam nos penaltis: qualificaram-se os de Andorra. A mesma equipa de San Marino já calhou com o La Valeta de Malta e adivinhem? Duas derrotas. Mas o La Fiorita de San Marino não teve sorte diferente quando defrontou o La Valeta e açambarcou mais duas belas derrotas.

Este ano, mais uma vez, o início da época está a ser um espectáculo para quem é sádico o suficiente para ver jogos de equipas de San Marino, Gibraltar, Andorra, etc…

Vamos lá aos resultados que não fogem da normalidade:
Brondby 9-0 Juvenes-Dogana (San Marino)
La Fiorita (San Marino) 0-5 FC Vaduz

Então e o actual campeão de San Marino?

Estava a ver que nunca mais perguntavam pelo enorme Folgore-Falciano! Calhou-lhes em sorteio o Pyunik, campeão armeno e que conta com 8 habituais internacionais armenos mais Cesar Romero, um ponta de lança americano que foram buscar ao Chivas e que marcou 26 golos em 30 jogos na época passada. Tarefa complicada para o Folgore-Falciano ainda por cima tendo em conta que estavam excluídos da convocatória os jogadores Proli, Sartori, Genestreti, Nucci, Righi e Loiodice – certamente todos cepos, mas certamente fazem falta num clube com poucos recursos. Nem vou comentar a pergunta que estão a fazer na vossa cabeça e respondo já, antes que a atirem para o ar – é óbvio que conheço estes jogadores todos como à palma da minha mão!
Mas a aventura do Folgore na Europa é mais épica do que vocês pensam. Imaginem só que têm que fazer uma viagem de San Marino até Yerevan. Vão de autocarro até Milão mas apanham uma fila de trânsito em Bolonha que quase vos faz perder o avião para… Atenas. Em Atenas esperam mais umas quantas horinhas, ainda vão dar um aperto de mão ao Machairidis e ao Varoufakis e finalmente apanham mais um avião para Yerevan.

Ora bem… Chegados a Yerevan e com jogo no dia a seguir, toca de ir dar um pulinho até ao estádio para ver as condições do relvado e preparar a mega táctica Folgoriana para parar o campeão armeno. Sabem quem é que parou? Foi o autocarro do Folgore! À saída do estádio, no regresso ao hotel, mediu mal a altura duma ponte e toca de embater com toda a violência com o topo do autocarro na ponte. Imaginem o cagaço que os jogadores apanharam. É o chamado dia em cheio! Horas no trânsito em Bolonha, um dia inteiro em aeroportos e – cereja no topo do bolo – batem com o autocarro quando já só pensavam nas caminhas do hotel. Os jogadores não vão de modas, agarram nas malinhas e fazem-se à estrada rumo ao hotel. (se quiserem mais pormenores sobre este conto de fadas visitem o facebook oficial do Folgore: https://www.facebook.com/FolgoreFalcianoCalcio E TOCA A DAR LIKE NA PÁGINA DOS HOMENS)

Resultado normal disto tudo? Bem, eu diria uma goleada do género da que o Brondby espetou ontem no Juvenes-Dogana… Enganei-me. Os armenos não jogaram a ponta dum corno e o Folgore-Falciano, mesmo a perder 2-0 e a jogar em inferioridade numérica ainda conseguiu reduzir para 2-1 na sequência de um canto.

Para a 2ª mão somos todos Folgore-Falciano! Força Folgore! Vence por nós!

 

Meanwhile in… #ESPECIAL EXTRA FANTÁSTICO

             Especial Meanwhile In… Liga Indiana!!

JÁ CHEIRA A CARIL! Vivó Martim Moniz! Este fim de semana arranca aquela que promete ser a liga mais espectacular dos últimos tempos – pelo menos para os lados da Ásia! Falamos, como é óbvio, da Indian Super League 2014! Esta será a 12ª edição da prova, mas a primeira sob este nome.  Pois é, pessoas, uma data de jogadores veteranos resolveram fazer as malas e ir jogar para a Índia. Como nós somos uns gajos porreiros, vamos deixar-vos com uma ideia do que se irá passar neste campeonato. Gostamos de vos manter informados até porque há muita gente interessada nesta competição e nenhum blog ou jornal se digna a fazer um especial sobre isto! Mas nós, amigos, somos doentes e vamos seguir esta liga como quem segue a Champions.

Esta liga será constituída por 8 equipas e terá a duração de aproximadamente dois meses que prometem ser bastante competitivos e com jogos absolutamente épicos – nem que seja uma epicidade estilo Britcom na RTP2, à noite no fim de semana, depois de um gajo chegar a casa com uma bubadeira do caixão à cova. Passemos então à apresentação dos oito clubes em prova:

Atlético de Kolkata
Situado em Calcutá, o Salt Lake Stadium tem capacidade para 120 mil pessoas. Coisa pouca, portanto! Este clube tem estrelas como Apoula (guarda-redes ex-PSG ), Josemi (defesa direito campeão europeu pelo Liverpool) e Luís Garcia (Atl. Madrid, Barcelona, Liverpool). Nomes sonantes num conjunto que tem jogadores como Climax Lawrence ou o Ofentse Nato (internacional pelo Botswana).
Equipamento: a imitar o Atlético de Madrid


Northeast United
Tzorvas na baliza, Miguel Garcia na defesa, Guilherme Batata no meio-campo, Koke (esse mesmo, o ex-Sporting) no ataque. Uma verdadeira constelação de estrelas em qualquer posição da equipa, liderada pela estrela mais mítica de todas: Capdevila! Portanto, pelas alas os adeptos do Northeast podem dormir descansados. Esperamos ansiosamente pelas prestações de jogadores como Zodingliana Ralte ou os zambianos Mtonga ou Chansa. 35 mil espectadores ávidos de bons espectáculos marcarão presença nos jogos deste clube que representa a cidade de Guwahati.
Equipamento: A imitar o Bayern de Munique

Pune City
Shree Shiv Chhatrapati Sports Complex. Não, não vos estou a mandar para o caralho em indiando, este é mesmo o nome do complexo desportivo do Pune City. Com capacidade para 22 mil pessoas, este “modesto” estádio terá o privilégio de receber nada mais nada menos que: Bruno Cirillo (ex-AEK, PAOK e umas 20 equipas italianas), Katsouranis (ex-Benfica), Panandetiguiri !!!!!!! (ex-Leiria) e o fantástico David Trezeguet (ex-Juventus e Mónaco). Um plantel bastante homogéneo, que conta ainda com mais dois italianos, só para o Cirillo não se sentir sozinho, coitado. Nomes como Lenny Rodrigues e Joaquim Abranches poderão dar nas vistas a qualquer altura.
Equipamento: que não lembra ao diabo. Listas verticais roxas e laranjas.

Delhi Dynamos
Quem é que vai varrer tudo para os lados do Rajastão, quem é? É isso mesmo: Alessandro Del Piero. Depois de duas épocas no Sydney FC, o astro italiano resolveu continuar pela Ásia(*) e passear toda a sua classe por Deli. Os dinamarqueses Skoubo e Junker serão certamente os seus parceiros no ataque, com o português Henrique Dinis (ex-Guimarães) no apoio. Na baliza, um Marek Cech cheio de experiência (não, o lateral ex-Porto não deu em guarda-redes, este é outro) para acalmar os defesas mais ansiosos, como Govin Singh ou Robert Lalthlamuana. 50 mil espectadores parece-me pouco para estes galácticos.
Equipamento: a imitar o Chelsea
Kerala Blasters
Alguém tem coragem de se meter com uma equipa com um nome destes? Blasters? Eu já tinha desistido. Os arqui-rivais dos Dehli Dynamos (irão partilhar o mesmo estádio) contam nas suas fileiras com Michael Chopra, avançado histórico que passou ao lado de uma grande carreira em Inglaterra e que irá tentar ser feliz aos 30 anos de idade. Ah e tal, mais uns nomes medianos, um Milagres Gonsalves aqui, um Ramandeep Singh ali, um Sushanth Mathew acolá, quando de repente: David James! O mítico guarda-redes inglês será treinador/jogador, coisa que já não se usa desde os tempos do Vialli no Chelsea (e do Giggs no United, mas este nem devia contar). Como será quando o treinador David James vir o guarda-redes David Calamity James dar mais um frango? Cá estaremos para ver.
Equipamento: a imitar a selecção brasileira
Chennaiyin FC
Pá…Eu só sei que o nome do estádio destes tipos é igual ao anterior, mas com menos 10 mil pessoas. O Jawaharlal Nehru devia ser mesmo um gajo importante na Índia (quem souber que responda nos comentários porque a mim não me apetece pesquisar). Estes tipos parecem-me, à partida, a equipa mais forte da competição. Porquê? Marco Materazzi. Acho que este nome chega perfeitamente para todo e qualquer adversário. Secundado por Mendy (ex-PSG, Hull), Bracigliano (GR ex-Marselha), Silvestre (ex-Man United, Arsenal) e ainda Elano (ex-Man City, Galatasaray, Shakhtar Donetsk). Com uma equipa tão boa do meio-campo para trás, basta um Jeje Lalpekhlua ou um Balwant Singh na frente para resolver os jogos.
Equipamento: um cruzamento de Alverca com a selecção holandesa

FC Goa
Este é claramente o clube que o adepto português irá apoiar. Porquê? Muito simples: Goa, Damão e Diu, todos nós aprendemos isto nas aulas de história, portanto é motivo mais do que suficiente para subscrevermos até a ficha de sócio deste simpático clube. Como se isso não fosse motivo suficiente, ainda vos damos mais uns quantos: André Santos (ex-Arsenal e Fenerbahçe), Grégory (ex-Paços de Ferreira), Edgar Marcelino (aquele gajo que era um cracalhão nas camadas jovens do Sporting e depois nunca mais ninguém soube dele até agora), Bruno Pinheiro (ex-Gil Vicente e Boavista), Miguel Herlein (camadas jovens do Benfica). Todos fiéis escudeiros do eterno Robert Pires (ex-Arsenal). Não sei se vão conseguir superar Materazzi e sus muchachos, mas contem comigo para apoiar o Goa. Os 24 mil adeptos que se deslocarem ao Fatorda Stadium é que não vão ficar muito contentes de ver as pérolas da formação Romeo Fernandes e Holi Narzary sentados no banco. É a vida…
Equipamento: a imitar a selecção holandesa

Mumbai City FC
55500 espectadores numa cidade com 12 milhões. Os presidentes Ranbir Kapoor e Bimal Parekh vão ter muito que explicar; um estádio tão pequeno para tanta gente, quero ver quando chegarem os jogos do título e todos quiserem sair das redes sociais para ir ao Dy Patil apoiar o seu clube…Enfim. Mais um jovem saído de Guimarães para o futebol indiano, desta vez o guarda-redes André Preto, que comandará uma defesa composta por talvez um Peter Costa, um Deepak Mondal e pelo Manuel Friederich, campeão alemão em 2004 pelo Bremen. No meio-campo temos um Tiago Ribeiro (formação do Benfica), um Lalrin Fela, um Asif Kottayil … e temos Ljungberg (ex-Arsenal), jogador que estava parado desde 2011 mas que resolveu dar uma perninha  a um seu antigo companheiro em Inglaterra: Nicolas Anelka. 

Equipamento: a imitar o Trofense

E está assim feita uma espécie de resumo desta que promete ser uma liga espectacular, onde os craques são mais que muitos e onde o apelido Singh promete confundir todo e qualquer analista de futebol. A liga arranca este domingo, com um estonteante Atlético de Kolkata vs Mumbai City. Cá estaremos a acompanhar este campeonato, espero que os nossos leitores não deixem igualmente de lhe dar atenção.

(*) Se na parte do Del Piero ter continuado na Ásia começaste aí a disparatar “ah e tal, que borrego este gajo do Bujas, toda a gente sabe que a Austrália faz parte da Oceania”, sim senhor, muito bem, mas onde é que a selecção faz o seu apuramento para o Mundial? Quem é que vai ser o anfitrião da Asian Cup 2015? Quem está na final da Liga dos Campeões asiática? Então vai pró caralho!

Meanwhile In… #5

Liechtenstein – O Vaduz do nosso amigo Peter Jehle venceu a taça do seu país no início deste mês, com o ex-guarda-redes do Boavista em grande destaque por ter sacado duma cadeirinha de praia para abancar na grande-área. O Vaduz cilindrou o Eschen/Mauren por 6-0 na mais importante (e única) competição organizada pela Associação de Futebol do Liechtenstein e podem agora concentrar-se nas competições que realmente importam: o Vaduz na 2ª divisão da Suiça e o Eschen/Mauren na 4ª! Mas há boas notícias para o Eschen/Mauren! Conquistaram a subida à 3ª divisão e para o ano vão poder defrontar nessa liga o grande colosso Etóile Carouge, clube que na época passada serviu para perceber que meter bolas nas costas do Cortez é mais fácil do que convencer um velhinho com Alzheimer de que somos o seu netinho.

Gibraltar – A Associação de Futebol de Gibraltar foi finalmente aceite pela UEFA e pode a partir do próximo ano começar a espalhar magia na Liga dos Campeões e Liga Europa! A liga de 2013-14 foi um must. O Lincoln (clube que se qualificou para a Liga dos Campeões) foi campeão pela 7ª vez consecutiva e o Gibraltar Phoenix foi despromovido. Mas não foi despromovido de qualquer forma, não pensem! Foi despromovido com zero pontos e 94 golos sofridos em 14 jogos (leram bem). Os jogos entre o campeão e o último classificado ficaram Lincoln 16-1 Gibraltar Phoenix e Gibraltar Phoenix 0-16 Lincoln.

Papua-Nova Guiné – Neste maravilhoso país que tem tribos exóticas do mais fantástico, umas com pessoas que cortam dedos das mãos cada vez que lhes morre um familiar (imaginem se morrerem às dezenas num ano) e outras que quando não há fruta assa-se uma costeleta de Joaquim ou mete-se um Pedro no espeto (yep, canibais), o campeão, pela 9ª vez consecutiva, foi o Hekari United. Esta liga existe desde 2006 e nunca conheceu outro vencedor. O Hekari United disputou a final com o Lae FC, vencendo por 3-0 nos 60 minutos que o jogo teve. É que a última meia hora já aborrecia e os adeptos do Lae FC invadiram o relvado para dar umas trincas nos jogadores do campeão. O árbitro achou melhor adiar o churrasco e para o ano é o Hekari United que vai disputar a Liga dos Campeões da OFC contra equipas da Nova Zelândia, Tahiti, Vanuatu, Nova Caledónia, Ilhas Salomão, Ilhas Fiji, Ilhas Cook, Samoa, Samoa Americana e Tonga! Não é fantástico? É.

África do Sul – O Chippa United do nosso grande amigo Saidou Madi Panandetiguiri conquistou o título de campeão da 2ª divisão e vai para o ano disputar a PSL! É a 2ª vez que os rapazes do chili vão disputar uma liga que foi conquistada pelo Mamelodi Sundowns FC. O Chippa United é o 3º maior clube da Cidade do Cabo, sendo que para o ano vai defrontar o principal rival da sua cidade, o Ajax Cape Town, num dos derbis da cidade. Mas voltando à PSL… Sabem quem é o treinador do campeão da PSL? Peter Ndlovu! Ex-avançado do Coventry, mítico, liderou o Mamelodi à sua 6ª liga! Fica aqui a nossa homenagem a um dos grandes avançados da Premier League dos anos 90:

Meanwhile In… #4

O Meanwhile In… de hoje é dedicado a ex-glórias do futebol português! Vamos fazer uma viagem fantástica pelo mundo. Uma viagem aos confins da terra! Segurem-se!
 
Tailândia – O BEC Tero Sasana do nosso querido Ariza Makukula começou bem a liga e leva 7 pontos conquistados em 3 jogos. A vitória no passado fim de semana não podia ter sido mais saborosa, por 3-2 frente ao campeão Buriram United, numa vitória conquistada graças a uma buja fulminante a mais de 30 metros da baliza dum jogador chamado Peerapat Notechaiya. Ariza Makukula, pela minha pesquisa, ainda não se estreou, mas tem à sua espera na frente de ataque o hondurenho Georgie Welcome. Os objectivos do clube passam pela qualificação para a liga dos campeões da AFC via playoff, tarefa que não se adivinha nada fácil. O nosso blog, no entanto, com Welcome e Makukula, não tem dúvidas em afirmar que o BEC Tero Sasana será campeão. A partir de agora vamos passar a tratar o BEC Tero Sasana por “Becas do Makukula”! Força, Becas!
Singapura O Tampines Rovers foi campeão da S.League 2013 com 3 portugueses (da Gestifute) em destaque: guarda-redes André Martins (ex-SCP), o médio Vítor Ladeiras e o avançado Diogo Caramelo (ex-SLB). A época 2014 não poderia ter começado melhor para o campeão, com 3 vitórias em 3 jogos… Adivinhem quem é o novo astro da equipa, com 4 golos apontados nestes 3 jogos? Milan Mrdakovic! Antigo ponta de lança do Vitória de Guimarães! Este menino promete fulminar as balizas por essa Singapura fora e fazer do Tampines novamente campeão. O clube não está é com muita sorte na AFC esta época, algo que não impede Mrdakovic de violar também na AFC as balizas adversárias. Infelizmente, o golo de Mrdakovic não chegou e a equipa acabou eliminada, no prolongamento, por 2-1, frente ao South China de Hong Kong, no playoff de qualificação para a Liga dos Campeões da AFC. Na “Liga Europa” lá do sítio, a AFC Cup, o Tampines em 2 jogos não conseguiu um único ponto e está neste momento a fazer pela vida. Adivinhem? 77 minutos de jogo e Tampines 3-1 Pune FC (Índia). Adivinhem quem marcou mais 2 golos? Yep. Mrdakovic! O golo do Pune FC foi marcado pelo Mustapha Riga (alguns fanáticos devem lembrar-se desta personagem em terras europeias)


Gabão – As coisas não estão famosas para o AC Bongoville de Henri Antchouet. 11º classificado entre 14, esta modesta equipa luta desde 2011, ano em que subiu à 1ª divisão, para se manter entre os maiores do futebol gabonês. Antchouet até já marcou um golito que daria a vitória ao Bongoville no terreno do Mounana, só que pronto, árbitros ladrões e com medo dos adeptos da casa, anularam o golo ao nosso amigo. Tirando o golo anulado, o Antchouet ainda não marcou qualquer golo na presente época mas, com a ajuda do Diego Zaporo, seu amigo brasileiro com trajecto em Portugal (Vitória Setúbal, Beira-Mar, Olivais e Moscavide, Pinhalnovense e Torreense), temos a certeza que vai fazer as delícias dos habitantes desta cidade no sudeste gabonês. 

Cazaquistão – Se as pessoas só conheciam Astana por ser a antiga ou presente equipa de ciclistas como Sérgio Paulinho, Contador, Vinokourov, Leipheimer ou Nibali, agora, meus amigos, preparem-se, porque está na hora de seguir o trajecto de Cícero em terras de Borat. Eu ainda sou do tempo em que o Dínamo de Moscovo veio a Portugal, cheio de petrodólares e de pau feito, para contratar uma troupe de jogadores e serem campeões da Rússia, Urais, Crimeia e mais além. Nuno, Jorge Ribeiro, Luis Loureiro, Costinha, Maniche, Derlei, Cícero e Danny quase atiravam o Dínamo para a 2ª divisão russa, mas que se lixe, ao menos temos mais uma equipa mítica para recordar até sermos velhinhos, com a malta da sueca lá no bairro. Mas voltando ao Cícero! O Cícero no ano passado foi vice-campeão do Cazaquistão, perdeu o campeonato para o Aktobe e este ano começou a época a ser eliminado nos playoffs da Liga Europa pelo Botev Plovdiv da Bulgária, com uma humilhante goleada por 5-0 em Plovdiv. No campeonato, um 0-0 em casa frente ao Zhetysu (10º classificado em 2013) também não augura nada de bom. Vá lá, Cícero, vamos lá espevitar aí esses borats! Força!


Meanwhile In… #3

Iémen – Em ano de eleições no país estalou um conflito grave entre grupos rebeldes houthi (xiitas) e hashid (tribos sunitas e islâmicos salafistas). Os confrontos agravaram-se – depois do mediador do conflito ter abandonado o barco – e chegaram à capital Sana’a neste mês. Ontem, no sul do Iémen, houve um ataque às forças governamentais, o que se espera que venha a agravar ainda mais o conflito num país que nos anos 90 estava dividido em 2. No Iémen do Sul, com forte presença de grupos da jihad (Al Qaeda incluída) cresce um interesse separatista que pode provocar nova divisão com fronteira no Iémen. O futebol? Amigos, o futebol continua como se nada fosse. O Al-Saqr de Ta’izz, cidade a 1400 metros de altitude no sul do Iémen (perto do Mar Vermelho), comanda o campeonato sem derrotas, só encontrando rival no Al Ahli de Sana’a, que também segue sem derrotas na perseguição aos rivais do sul. Os 2ºs classificados estão todos contentes por terem conseguido contratar o bósnio Adis Hadzanovic, de 21 anos, que jogava no Nomme Kalju da Estónia.

SíriaGuerra civil entre as forças governamentais de Bashar Al-Assad e os rebeldes da oposição ou apenas uma peça no tabuleiro de xadrez que é a geopolítica mundial? Com pouco petróleo na Síria o que leva os EUA a patrocinar os rebeldes? Será pela pena que sentem pelas crianças e mulheres que morrem? Não, a Síria está no berço da humanidade, entre o Mar Mediterrâneo e o Iraque. Bashar Al-Assad apoia o Irão e compra armas à Rússia. Pode ser este o motivo. Há poucos dias surgiram notícias de que o governo bombardeara uma cidade perto da fronteira com o Líbano o que fez com que muitos civis tivessem que atravessar a fronteira para escapar ao fogo das forças governamentais. Perto da Turquia, em Aleppo, os rebeldes continuam a tentar libertar presos políticos e a alvejar edifícios ligados ao governo. Alheio a tudo isto está o futebol. A equipa de Aleppo, o Al Ittihad, recebeu o Al Taliya de Damasco e perdeu por 1-0. Vejam só a maravilha que é o Estádio Internacional de Aleppo no vídeo:

Myanmar – Na Birmânia (ou Myanmar, como preferirem) vive-se um dos maiores dramas do globo. O governo decidiu construir uma barragem que vai fazer com que várias vilas no estado de Kachin (norte do país) desapareçam. Ora, no século passado lutou-se até 1994 pela independência de Kachin e a ditadura militar que se vive actualmente na Birmânia achou que o melhor sítio para alagar seria precisamente este estado. Resultado? Guerra civil. O governo birmanês, com muito mais meios (leia-se abastecidos até às orelhas com armas dos chineses) do que os KIA (Kachin Independence Army), tem massacrado o povo deste estado e tem tentado pulverizar a resistência, tudo em prol dos interesses dos chineses no controlo dos recursos da região. Alheio a isto tudo? Claro! O futebol. O maior clube de Kachin, o Manaw Myey FC, joga amanhã na capital da Birmânia contra o Nay Pyi Taw. Nos jogos em casa, o Manaw Myey tem que ir jogar ao YTC Stadium em Yangon, no sul do país.
Ucrânia – A espiral de violência continua e já não se observa apenas em Kiev. O exército parece estar na iminência de intervir, já que os manifestantes conseguem várias “vitórias” sobre o governo e a polícia revela-se incapaz de travar o movimento anti-Ianukovich. Mais uma vez observamos um braço de ferro entre a Rússia e o Ocidente. O que nos choca, provavelmente, é a proximidade da Ucrânia relativamente ao coração da Europa. Pensar nas consequências, nas causas e conspirar em torno dos porquês. O futebol? O futebol está de férias… Ou não. O jogo entre o Dinamo de Kiev e o Valencia, marcado para hoje, vai ser disputado no Chipre. O Dnipro receberá o Tottenham em sua casa mesmo apesar de vários protestantes terem atacado recentemente edifícios governamentais em Dnipropetrovsk. Quanto ao Chernomorets, em iguais circunstâncias, receberá também na sua casa em Odessa o Lyon. O campeonato ucraniano regressará no final do mês e falta pouco mais de uma semana para o estrondoso Dinamo de Kiev vs Shaktar Donetsk. Há um mês aconteceu isto no exterior do estádio Valeriy Lobanovskyi, casa do Dinamo:

Meanwhile In… #2

Vietname – O campeonato começou e o campeão nacional T&T Ha Noi já escorregou. A sua estrela, Cristiano Roland, não conseguiu impedir a derrota frente ao Vissai Ninh Binh por 3-1. Cristiano Roland, nome que adoptou para ser mais parecido com Cristiano Ronaldo, é um velho conhecido nosso que já alinhou no Beira-Mar. Ainda não chegaram lá? E se vos dissesse que alinhou no Benfica? Já sabem de que Cristiano estou a falar? Pois é! Colecciona títulos no Vietname!
 
Antígua & Barbuda – A época não está a correr bem para o bicampeão nacional Old Road. Já levam 16 pontos de atraso para o líder invicto Sugar Ridge SAP. Este campeonato tem algumas particularidades. Os jogos disputam-se todos no mesmo estádio, o Recreation Ground, que tem capacidade para cerca de 10mil pessoas. Uma das estrelas do campeonato, Stefan Smith, capitão do bicampeão Old Road e melhor marcador, joga só em part-time nesta liga, dividindo a sua carreira entre Antigua & Barbuda e os Chicago Eagles, que jogam na USL (3ª Divisão dos EUA). Estão curiosos? Highlights da jornada passada é ver aqui e aqui
 
Turquemenistão – Como vocês se perguntam todos os dias, desde Novembro, quem é que ganhou o campeonato do Turquemenistão, eu respondo: foi o Halkara Türkmen Türk Uniwersiteti Aşgabat. Felizes? Não? Então ficam a saber que o melhor marcador foi o Mämmedaly Garadanow do FC Balkan. Pronto. Já podem dormir descansados. Em Abril regressa este maravilhoso campeonato. 

 

Ruanda – Chorei baba e ranho a ver este filme. Tenho um coração muito mole. Estava lixado se fosse adepto de futebol neste país porque o campeonato segue impróprio para cardíacos! 5 equipas separadas por apenas 4 pontos na luta pelo ambicionado título. O Rayon Sports, actual campeão, segue com os mesmos 31 pontos do Armée Patriotique Rwandaise (APR) que dominou o futebol do país na última década. Deixo-vos com imagens do principal jogo da época passada. Humilhação ao APR. Vejam aqui

 
Austrália – Na Austrália o nosso conhecido Eugene Galekovic do Adelaide Utd tramou a vida ao 2º classificado WS Wanderers, na vitória por 1-0 da sua equipa. O Galekovic jogou em Portugal no Beira-Mar, fez 2 jogos na 1ª divisão e depois foi despachado para o Marco. A experiência em Marco de Canaveses foi tão traumática que o homem quando chegou à Austrália tornou-se numa espécie de guru das balizas lá do sítio, ao ponto de ter já estado no Mundial 2010 e estar bem posicionado para ser também convocado para o Mundial 2014. Sabem quem também joga na equipa do Galekovic? O Carrusca! Marcelo Carrusca fez trezentas capas em Portugal e esteve quase para ser jogador do Benfica!

Meanwhile In… #1

Lesotho – No Lesotho infelizmente não tenho notícias para vocês. O campeonato está parado. Pois é. Uma pena. É que o Lesotho está a organizar a Taça Sub-20 do Conselho de Futebol do Sul de África (COSAFA) e precisaram dos estádios dos clubes. Vai daí pára o campeonato um mesito e só em Janeiro é que vamos saber quem vai vencer o tão cobiçado título, se o Bantu FC da cidade de Mafeteng, se o Lioli FC da cidade de Teyateyaneng.

Nigéria – Na Nigéria o campeonato já acabou e quem fez a festa foi o Kano Pillars, tendo a equipa do nosso estimado Okunowo terminado num honroso 12º lugar! Aqui nada de novo. As equipas continuam a não conseguir vencer jogos fora de portas, os árbitros e jogadores continuam a correr perigo de vida e o Emmanuel Amunike continua lesionado no joelho.

Somália – Na Somália não há campeonato desde que um ciclone se lembrou de fazer ciclonices a meio do mês passado. Montes de mortos, medo do aparecimento de mais doenças ainda no país, mais miséria, estádios destruídos, não há cabeça nem relvados para futebol agora. Quando estiverem indecisos se é boa ideia ir para o frio ver o Ruben Micael espalhar magia, lembrem-se dos adeptos somalis de futebol.

Nova Caledónia – Aqui, o ASGN começa a dar mostras de recuperação depois de ter sido goleado pelo AS Lössi por esclarecedores 8-1. O Carlos Azenha, entre duas garfadas de lagosta, já disse a um jornal local que nunca mais vai de férias para um resort sem antes ligar para a federação do país de destino a cancelar todos os jogos para aquele fim de semana.

Escócia – Na Escócia o Rangers esta época segue imparável na 3ª Divisão, depois de ter conseguido o título da 4ª divisão na época passada. Este ano, em 15 jogos, somam 15 vitórias, goleada atrás de goleada, numa corrida raivosa rumo à Premier League. É caso para dizer… Treme, Sporting!